Concurso MPU: comissão já tem preferência por organizadora

A comissão responsável pelo concurso 2017 do Ministério Público da União (MPU), para técnico administrativo (nível médio e com ganhos de R$7.260,41) e analista de Direito (superior e R$11.345,90), espera reunir-se pela primeira vez até sexta-feira, dia 5 de maio, quando, oficialmente, será dado o pontapé inicial nos preparativos do aguardado certame. E a pauta desse primeiro encontro já é a definição da organizadora, o que ocorrerá por dispensa de licitação.

Curso Online para Técnico Administrativo do MPU

Curso Online para Analista Área Administrativa do MPU

Saiba qual é a organizadora mais cotada

A fonte ligada ao MPU, que passou essas informações, acrescentou que a comissão responsável pela seleção, presidida pelo procurador Blal Yassine Dalloul,
deseja que o Cebraspe fique à frente do concurso. “O orçamento destinado para a seleção condiz com a escolha do Cespe/UnB (atual Cebraspe), que organizou
os nossos quatro últimos concursos. Essa definição será o primeiro passo da comissão e, portanto, é a pauta dessa primeira reunião”, acrescentou a fonte.
Servidora do MPU e trabalhando nos preparativos do certame, essa fonte também passou detalhes da programação da comissão, rumo ao concurso do MPU.
Segundo ela, o edital segue programado para agosto (após o dia 5 desse mês, quando vence a validade do concurso anterior para os mesmos cargos), com a
sua elaboração não demorando para ser iniciada. “Nossa ideia é, logo após a dispensa de licitação, iniciar a elaboração do edital junto à organizadora.
Trabalharemos para que o edital seja divulgado em agosto”, revelou.

Veja calendário previsto do concurso do MPU

Com essas informações, pode-se prever a escolha da organizadora do concurso do MPU já no próximo mês, e início da elaboração do edital a partir de junho, para publicá-lo em agosto. A fonte disse também que a comissão não elaborará uma minuta do edital ou termo de referência, geralmente utilizado em processos de licitação ou pregões, pois a escolha da organizadora ocorrerá por dispensa, método mais ágil. “Assim que tivermos a definição da organizadora, começaremos a elaborar o edital, o que inclui a definição das disciplinas e estrutura do concurso, por exemplo”, completou.
As provas deverão ocorrer em outubro ou novembro, respeitando o intervalo de 60 dias entre o edital e a aplicação das avaliações. Essa previsão, porém, ainda não foi fechada pela comissão. Em paralelo à escolha da organizadora, o setor de Recursos Humanos do MPU faz levantamento de carências de pessoal pelas unidades do país, para saber o real déficit de pessoal de cada estado. Antes do início dos trabalhos da comissão, a Administração também já estudava o perfil ideal de organizadora, conforme adiantado por FOLHA DIRIGIDA. Essa etapa já foi concluída, e a comissão trabalhará para oficializar o Cebraspe (antigo Cespe/UnB) como organizador, o que acontecerá em breve.

O concurso MPU 2017 deverá contemplar o Brasil inteiro, incluindo o Rio de Janeiro, com os exames sendo aplicados em todas as capitais. A perspectiva é de um bom número de contratações, já que, hoje, há 1.776 vagas disponíveis no MPU, sendo 577 de técnicos administrativos e 1.199 de analistas de Direito. Os interessados devem estudar tendo por base o concurso de 2013. À época, os candidatos foram avaliados por meio de duas provas objetivas, uma de Conhecimentos Básicos (50 questões) e outra de Especí騘�cos (70). Para analista, houve também prova discursiva.
No caso do técnico administrativo, de nível médio e destaque da seleção, o exame de Conhecimentos Básicos versou sobre Português, Noções de Informática, Ética no Serviço Público, Raciocínio Lógico e Legislação Aplicada ao MPU e Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). A avaliação específica, por sua vez, contemplou Noções de Direito Constitucional e de Direito Administrativo, Administração e Administração de Recursos Materiais.

Por: Gustavo Portella

Fonte: Folha Dirigida

You May Also Like