IBGE e INSS: Pontos fortes de cada concurso

O fim de 2015 trouxe ao menos dois presentes para os concurseiros de todo o país que, na virada para o novo ano, puseram no topo da lista de pretensões o sonhado ingresso no serviço público. Os aguardados editais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foram divulgados em dezembro e mostraram que, apesar do cenário de crise, as seleções seguirão acontecendo para o bem da máquina pública. Em ambas as seleções, embora exista a oferta para graduados, o maior destaque são os cargos de técnico: exigindo o ensino médio completo, concentram as maiores ofertas de vagas e oferecem ganhos bem acima da média de mercado para essa escolaridade. (Leia as matérias completas com todas as informações e instruções para a inscrição no INSS e no IBGE)

Quem poderia imaginar, porém, que no atual cenário de crise surgiria na mente dos concurseiros a dúvida de qual concurso fazer? E aí, INSS ou IBGE, qual você prefere? Optar por um não é regra, pois muitos candidatos podem fazer as duas provas, já que uma está marcada para o dia 15 de maio (INSS) e a outra para 17 de abril (no caso dos técnicos do IBGE). No entanto, por serem órgãos com atuações distintas, um pode ser melhor do que o outro levando em conta, além do perfil do concorrente, aspectos como salários, benefícios, vagas, disciplinas e programa, entre outros.

Especialista em concursos e diretor pedagógico da Academia do Concurso, Paulo Estrella explicou como essa escolha deve ser feita, caso seja desejo do candidato. Segundo ele, a primeira questão a ser avaliada é se as atribuições do cargo têm a ver com o perfil do concorrente. “O primeiro ponto a ser avaliado é se o trabalho a ser executado, caso o candidato alcance a aprovação, não agride a sua personalidade. Ou seja, se ele consegue exercer a função de forma natural. Após isso, pesa bastante o salário oferecido. Se em ambos os tópicos, o concorrente ainda estiver na dúvida, sugiro que ele analise a questão das vagas. O IBGE, por exemplo, é mais interessante do que o INSS, para quem é do Rio de Janeiro, pois possui bem mais vagas. Em seguida, a concorrência deve ser analisada. É importante, porém, que o candidato faça uma avaliação honesta com ele mesmo, levando em consideração a sua capacidade real e os obstáculos que terá que passar rumo à aprovação”, assinalou.

Para ajudar os concurseiros que seguem indecisos – vale destacar que o IBGE inscreve até o dia 28 de janeiro, enquanto o INSS mantém seu prazo aberto até 22 de fevereiro -, a FOLHA DIRIGIDA Online fez uma comparação entre os concursos, levando em conta as informações dos dois cargos. Oficialmente, eles atendem pelos nomes de técnico do seguro social do INSS e técnico em informações geográficas e estatísticas do IBGE. Foram comparados sete itens, que podem ser conferidos logo abaixo. E lembre-se: há ainda a opção de apostar todas as suas fichas e buscar garantir o seu futuro participando de ambas as seleções. Afinal, ambos os concursos oferecem ótimas oportunidades.

Atribuições
INSS – O técnico do INSS atua nas agências, sendo difícil ter que trabalhar externamente. Entre as suas atribuições, estão a execução de tarefas de competências constitucionais e legais, de planejamento e organização. É responsável ainda pela coleta de informações, execução de pesquisas, levantamentos e controles e emissão de relatórios e pareceres.

IBGE – O técnico do IBGE, por ser responsável pela coleta de dados para pesquisas da fundação, atua externamente. No edital consta que esse servidor será responsável em dar “suporte e apoio técnico especializado às atividades de ensino, pesquisa, produção, análise e disseminação de dados, além de informações de natureza estatística, geográfica, cartográfica, geodésica e ambiental.”

Salários
INSS – O técnico do INSS recebe R$5.259,87, considerando vencimento de R$639,18, gratificação de atividade executiva (GAE) de R$1.022,69, gratificação de desempenho de atividades do seguro social de R$3.225 (GDASS de 100 pontos, como consta do edital) e auxílio-alimentação de R$373. Esses valores aumentarão em agosto, com o acordo firmado para dar fim à greve do INSS. Os técnicos passarão a receber R$5.413,90.

IBGE – O técnico do IBGE tem remuneração inicial de R$3.471,85, somando vencimento de R$2.216,45, gratificação de desempenho de R$882,40 e auxílio-alimentação de R$373. Se o servidor tiver alguma qualificação esse valor aumenta, chegando a até R$5.011,01. Após seis meses, há uma avaliação de desempenho (em janeiro ou julho). Com ela, o valor chega a R$3.692,45, e com qualificações a até R$5.231,61.

Vagas
INSS – Levando em conta as ofertas totais, o INSS se mostra mais vantajoso do que o IBGE, pelo fato de ter 800 vagas de técnico do seguro social, de nível médio. No entanto, esse quantitativo divide-se por agências e cabe ao candidato avaliar em qual delas concorrerá. A maior oferta encontra-se em São Paulo, com 113 vagas de técnico.

IBGE – O instituto oferece 460 vagas de técnico em informações geográficas e estatísticas, de nível médio. Essas vagas dividem-se por estados e suas respectivas cidades. A maior oferta de 2º grau também destina-se ao estado de São Paulo, com 56 chances. Vale lembrar que, assim como no INSS, é aguardado um bom volume de contratações extras, além das vagas iniciais, durante a validade do concurso.

Concorrência
INSS – O concurso do INSS gerou muita expectativa, desde a solicitação das vagas, em 2013. Por isso, há muitos candidatos que estudaram com antecedência, o que aumenta a concorrência e a qualidade da disputa. A expectativa é que seja uma das seleções mais concorridas dos últimos anos.

IBGE – A seleção do IBGE não teve a mesma repercussão que a do INSS, e acredita-se que terá uma concorrência menor. No entanto, espera-se também uma alta relação de candidato/vagas, tendo em vista o alto número de desempregados no país e os atrativos oferecidos pela fundação aos seus servidores. Em tempo: neste quesito há um empate pois, assim como no INSS, o regime de contratação no IBGE é o estatutário, com a sonhada garantia de estabilidade.

Benefícios
INSS – A autarquia oferece, além do auxílio-alimentação de R$373 (passará para R$458 em agosto), assistência à saúde de R$117,78 (passará para R$145) e auxílio-creche de R$73 (passará para R$321).

IBGE – Os servidores da fundação têm direito a assistência à saúde (médica e odontológica), incluindo os dependentes, com valores que variam de R$82,83 a R$167,70, além de auxílio-transporte, variável de acordo com a localidade.

Disciplinas
INSS – Os candidatos a técnico da autarquia responderão a 50 questões de Conhecimentos Básicos (Ética no Serviço Público, Regime Jurídico Único, Noções de Direito Constitucional, Noções de Direito Administrativo, Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Noções de Informática) e 70 de Conhecimentos Específicos. O organizador é o Cespe/UnB.

IBGE – Quem tiver interesse no cargo de técnico do IBGE será submetido a 60 questões, sendo dez de Conhecimentos Específicos do IBGE, 15 de Geografia, 15 de Matemática e 20 de Língua Portuguesa. A seleção está sob a responsabilidade da Fundação Getulio Vargas.

Programa
INSS – O programa do INSS é mais extenso do que o do IBGE. Além de a autarquia cobrar mais disciplinas na prova, ele aparece mais detalhado, o que, inicialmente, costuma assustar os candidatos. Foco e determinação, porém, podem ajudar a cumpri-lo de forma integral. A parte positiva é que, segundo especialistas, o programa é bastante semelhante ao do último concurso, aberto em 2011, o que ajuda a quem iniciou os estudos antes do edital ser divulgado.

IBGE – A fundação possui um programa pequeno e aparentemente simples, o que pode facilitar a preparação. Os critérios de avaliação são menos exigentes do que no caso do INSS – para aprovação, a FGV exigirá mínimo de 40% de acertos no conjunto da prova e não zerar nenhuma disciplina. Uma parte do programa se refere a Conhecimentos do IBGE, cujo estudo deve ser feito por meio da apostila disponibilizada pelo órgão. Nela, há bastante conteúdo. Os especialistas avaliaram o conteúdo programático do IBGE e o classificaram como bastante semelhante ao do último concurso, o que também é positivo aos candidatos.

 

Folha Dirigida

You May Also Like