PCRJ: Chefe da Polícia confirma déficit de agentes

O efetivo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro conta, atualmente, com menos de 10 mil agentes na ativa, um quantitativo menor do que há 27 anos. A situação alarmante foi anunciada pelo próprio chefe da corporação, delegado Fernando Veloso, durante reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), destinada a investigar os autos de resistência e mortes decorrentes de ações policiais.
Segundo Fernando Veloso, o déficit de profissionais associado à grande quantidade de trabalho na Polícia Civil, que atende a uma média de 100 mil pessoas por mês, cria dificuldades operacionais e atrasa as investigações. Levantamento aponta que a quantidade de ocorrências aumenta a cada ano e vai chegar a 1 milhão em 2015.
“As polícias Civis não vêm recebendo a estrutura que precisam há muitos anos. Esse é um histórico de todo o Brasil, não só do Rio de Janeiro. O governo estadual atual até contratou muito esse ano. Por causa dele, que temos esse número de agentes, senão a situação seria ainda pior. A população também tem que respaldar a atuação da Polícia Civil. Mesmo sem aparecer muito na mídia, a atuação dos policiais civis é fundamental para as investigações e para conter a criminalidade”, ressaltou o chefe da PCERJ.

Blog do Concurso/ Folha Dirigida

You May Also Like