TRF 3ª Região: Saiu a convocação para as provas

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-SP/MS) divulgou nesta sexta-feira, dia 18, no Diário Oficial da União, a convocação para as provas objetivas de seu concurso público para técnicos e analistas. O exame será aplicado no próximo dia 3 de abril. O fechamento dos portões será às 8h30 e os candidatos deverão chegar aos locais de prova com no mínimo 30 minutos de antecedência, tendo em mãos um documento com foto. A consulta aos locais de prova já está disponível no site da Fundação Carlos Chagas, organizadora do concurso. Ao todo foram registrados 16.302 inscritos na seleção, com destaque para analista da área administrativa (10.708).

Os candidatos serão submetidos à prova objetiva sobre conhecimentos gerais (40 questões) e conhecimentos específicos (60). Será considerado aprovado na parte objetiva o candidato que obtiver total de pontos igual ou superior a 240. O estudo de caso está previsto para o dia 19 de junho.

A seleção visa ao preenchimento de 33 vagas de técnico judiciário, com exigência de nível médio, e analista judiciário, para quem possui nível superior. Todas as vagas são destinadas ao estado de São Paulo, sendo uma para o interior e o restante para a capital e Grande São Paulo.

As contratações serão feitas de acordo com o Regime e Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União. O concurso terá validade de dois anos, podendo ser prorrogado uma vez por igual período.PREPARAÇÃO
A reta final de preparação para o concurso de técnico e analista do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-SP/MS) divide os candidatos em dois grupos, como destaca o diretor do curso Neaf, Alessandro Ferraz. “Quem já está se preparando e tem estrada não deve procurar coisas novas, mas sim fazer uma revisão geral focando em todos os pontos do edital que já foram abordados. Já aqueles que ainda não conseguiram cobrir todo o edital têm que acelerar a preparação e fazer um ‘voo panorâmico’ sobre os conteúdos que ainda precisam ser estudados”, destaca ele.

Entre os assuntos que precisam de uma maior atenção o especialista destaca administração geral e pública como a fundamental e raciocínio lógico. “Acredito que raciocínio lógico será o diferencial na nota, pois os candidatos focam muito nas disciplinas de direito”, ressalta. Ferraz ainda destaca que a parte de Direito Constitucional não deve exigir tanto dos candidatos e pedindo atenção com a lei de licitações, que vem sendo cobrada em concursos.

You May Also Like