Caixa: Justiça pode exigir chamada de mais habilitados

A ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) do Distrito Federal para que a Caixa Econômica Federal (CEF) convoque mais aprovados nos concursos de 2014 para técnico bancário, médico e engenheiro do trabalho, finalmente terá um desfecho, no próximo dia 30. É que nessa data sairá a sentença no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10). Enquanto o processo judicial não é encerrado, a validade das seleções está interrompida. Nessa sentença, é muito provável que haja um prazo definido e maior de embargo dos concursos, de modo que o banco possa ter um período razoável para convocar os classificados.

Quase 30 mil estão aguardando. Além disso, a empresa pública precisará estipular o número de vagas no edital, mesmo se forem de cadastro de reserva, e que este quantitativo não pode ser insuficiente frente às necessidades do banco. Há também em curso uma outra ação civil, mas referente à atuação de 5% de deficientes no quadro de pessoal do banco. Hoje, a Caixa conta apenas com 1,45% desses profissionais. Por isso, faz-se necessário que convoque também os aprovados que concorriam às vagas nessa condição nos concursos de 2014.

De acordo com Thais Carvalho, integrante da Comissão de Aprovados nessas seleções públicas, a penúltima etapa do processo está marcada para 25 de janeiro de 2017: a audiência de encerramento. E somente quando ela acontecer é que a fase final, a sentença, será marcada. “Acredito que no nosso caso teremos um desfecho melhor do que o dos candidatos de ampla concorrência, já que esses 5% são determinados por lei”, observou a concurseira.

Folha Dirigida

You May Also Like